Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Me, my selfie, ai!

por JQ, em 29.07.16

If I'm to be your camera,

then who will be your face?

 

R.E.M., Camera

 

foz-do-tejo_12.jpg

Selfie + Photo Song - Holger Czukay (1984)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Meta-fotos

por JQ, em 29.07.16

“We drove 22 miles into the country around Farmington. There were meadows and apple orchards. White fences trailed through the rolling fields. Soon the sign started appearing. THE MOST PHOTOGRAPHED BARN IN AMERICA. We counted five signs before we reached the site. There were 40 cars and a tour bus in the makeshift lot. We walked along a cowpath to the slightly elevated spot set aside for viewing and photographing. All the people had cameras; some had tripods, telephoto lenses, filter kits. A man in a booth sold postcards and slides -- pictures of the barn taken from the elevated spot. We stood near a grove of trees and watched the photographers. Murray maintained a prolonged silence, occasionally scrawling some notes in a little book.

‘No one sees the barn,’ he said finally.

 

A long silence followed.

‘Once you've seen the signs about the barn, it becomes impossible to see the barn.’

He fell silent once more. People with cameras left the elevated site, replaced by others.

‘We're not here to capture an image, we're here to maintain one. Every photograph reinforces the aura. Can you feel it, Jack? An accumulation of nameless energies.’

 

There was an extended silence. The man in the booth sold postcards and slides.

‘Being here is a kind of spiritual surrender. We see only what the others see. The thousands who were here in the past, those who will come in the future. We've agreed to be part of a collective perception. It literally colors our vision. A religious experience in a way, like all tourism.’

 

Another silence ensued.

‘They are taking pictures of taking pictures,’ he said.”

 

 

excerto de “White Noise” ― Don DeLillo (1985)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sempre às turras com a minha jukebox (quem raio é esta mulher?... preciso conhecê-la... o filme deve ter uns 40 e tal anos... será que ainda vive?... Caso não, bem-vindos serão os seus clones na caixa de comentários deste blog :)

por JQ, em 24.07.16

Out of Time, versão dos Ramones (1993) do original dos Rolling Stones (1966)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Rasgões no meu espaço-tempo

por JQ, em 23.07.16

'Cause in my head there’s a Greyhound station

Where I send my thoughts to far off destinations

So they may have a chance of finding a place

Where they’re far more suited than here

 

Death Cab for Cutie, Soul Meets Body

 

Tejo-Alges_Dezembro-2013.jpg

Foz-do-Ave_Dezembro-2015.jpg

 Tejo, Algés - Dezembro 2013 / Foz do Ave, V.C. - Dezembro 2015

Autoria e outros dados (tags, etc)

por JQ, em 21.07.16

I know I have the best of time and space, and was never measured and never will be measured.

 

I tramp a perpetual journey, (come listen all!)

My signs are a rain-proof coat, good shoes, and a staff cut from the woods,

No friend of mine takes his ease in my chair,

I have no chair, no church, no philosophy,

I lead no man to a dinner-table, library, or exchange,

But each man and each woman of you I lead upon a knoll,

My left hand hooks you round the waist,

My right hand points to landscapes of continents and the public road.

 

Not I, not any one else can travel that road for you,

You must travel it for yourself.

 

It is not far, it is within reach,

Perhaps you have been on it since you were born and did not know,

Perhaps it is every where on water and on land.

[…]

This day before dawn I ascended a hill and look'd at the crowded heaven,

And I said to my spirit When we become the enfolders of those orbs, and the pleasure and knowledge of every thing in them, shall we be fill'd and satisfied then?

And my spirit said No, we but level that lift to pass and continue beyond.

 

You are also asking me questions and I hear you,

I answer that I cannot answer, you must find out for yourself.

[…]

Long enough have you dream'd contemptible dreams,

Now I wash the gum from your eyes,

You must habit yourself to the dazzle of the light and of every moment of your life.

 

Long have you timidly waded holding a plank by the shore,

Now I will you to be a bold swimmer,

To jump off in the midst of the sea, rise again, nod to me, shout, and laughingly dash with your hair.

 

46, Song of Myself - Walt Whitman, 1881

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um gajo nunca sabe, mas talvez "isto" não soe mal como ideal de vida

por JQ, em 18.07.16

 Love and some verses - Iron & Wine , 2004

Autoria e outros dados (tags, etc)

Absolutamente exausto diante tantas imagens e palavras sinónimas de violência (de quando em vez, um poucochinho de amor, pode ser ?)

por JQ, em 15.07.16

Arranja-me uns versos para o verão.

Coisas de areia, de memória

e sem futuro. Passos das tuas coisas

em volta, a luz perdendo

que guia o pescador, o turista

e o amante em aventuras com regresso

aos quartos onde repousa para o fim

a escassa vida.

 

Escreve como quem descreve quase

o fim do amor, da casa, do caminho

o teu ao meio-dia de Agosto

quase inteiro de sol

e outras poentes alegrias.

 

 

Pedido de Empréstimo -

António Manuel Azevedo, 1990

Autoria e outros dados (tags, etc)

por JQ, em 15.07.16

Carcavelos_Janeiro_2014.jpg

 Carcavelos, Janeiro 2014

Autoria e outros dados (tags, etc)

Parque de estacionamento

por JQ, em 13.07.16

Num topo do meu baldio

Do estacionário parque

Para veraneantes surfistas e aves raras

Num arredor da capital de nenhures

Assisto à passagem do trânsito

 

Uns apitam outros não

Imagino-lhes vidas

Alguns amam

Outros nem isso

Uns gostam-se

 

Detestam-se outros

Nada ou pouco descobrem

De bom em si e nos demais

Às vezes tudo isso

Num corpo só

 

Uns aceleram doidos

Família ou ninguém

À sua espera talvez

Outros como eu desistem

Ao segundo não

 

Amam-se uns poucos

Entediam-se outros tantos

De amor próprio

Exclusivo por demais

Enquanto uns desejam outros

 

Em desespero que seja

E só por estes persisto

Quase sem acreditar

E só estes me seguram

Enquanto desaprendo amores

 

Só perto dos últimos

Dos que ainda tentam dizer

Mesmo que pouco

Algum mínimo substante

Ainda falando vou

 

Só por estes escaparei do meu baldio

De um montículo de ervas daninhas

Num aleatório parque de estacionamento 

Tentarei dizer o que for sei lá eu

Do que aí vem e do que vier a ser

Autoria e outros dados (tags, etc)

por JQ, em 11.07.16

sotao-materno_VC-2016.jpg

V.C., Abril 2016 / It's a Fire - Portishead, 1994

Autoria e outros dados (tags, etc)

por JQ, em 11.07.16

Manhã

luz em frestas

na cama desfeita

os desenhos do sono

 

segredos

nas dobras

do travesseiro

 

 

O Carimbo da Noite

- Fabio Weintraub

Autoria e outros dados (tags, etc)

"The future was so bright I wore shades"

por JQ, em 08.07.16

 

 

 

 

(p/ ouvir, clique-se na foto do moço triste c/ óculos escuros)

 

[só para - - - ], preciso dizer-te isto, a sério que devo, agora crescidos, agora que finalmente sabemos fintar o calafrio de soletrar na mesma frase derrota e os inúmeros advérbios da morte, com algum humor duvidoso à mistura: experimenta combinar cerca de 35cl de vodka com esta música em repeat, num volume próximo do máximo [bom, 70cl, se for caso disso:], the beat goes strong ou palavras que tais, bi-tri-tetralingues, meio à toa entre a Babel contemporânea, detalhes, pontes, engenharia pop irrepreensível: intro, pré-refrão, eu dormia com nevoeiros, pós-refrão, intro de novo, the beat goes on, há aqui teclas – soam a violinos, coros no fundo atiram-nos para bem longe [82-83?], nostalgia of a sex landscape?, num salto cego para um Outono distante, um par de infâncias num repente esquecidas em Paris de França, naquele auberge de la jeunesse, rue de jean-jacques rousseau, so kind, baby, so kind, ou tudo teria acontecido naquela pensão rasca, junto da estação da Trindade, no Porto, onde arribámos com oito francos e meio no bolso? Hotel de la gare, obscenity hotel ? Já não importa onde, make me love, chewing gum machine, ouve, ainda oiço música só [- - -].

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2



Alguns riscos


Indícios?, por demais

um tremendo cansaço

de coisas feias, e daí

sons, diversos traços

caracteres alguns

de um rasto só


Algum tempo:


2017 Janeiro 2016 Dezembro Novembro Outubro Setembro Agosto Julho Junho Maio Abril Março Fevereiro Janeiro ; 2015 Dezembro Novembro Outubro Setembro Agosto Julho Junho Maio Abril Março Fevereiro Janeiro ; 2014 Dezembro Novembro Outubro Setembro Agosto Julho Junho Maio Abril Março Fevereiro Janeiro; 2013 Dezembro Novembro Outubro Setembro Agosto Julho Junho Maio Abril Março Fevereiro Janeiro; 2012 Dezembro Novembro Outubro Setembro Agosto Julho Junho


Junho 2006/Junho 2012

(arquivos não acessíveis

via Google Chrome)


Algumas pessoas:


T ; José Carvalho da Costa, Francisco Q ; Alcino V, Vitor P ; José Carlos T, Fernando C, Eduardo F ; Paulo V, "Suf", Zé Manel, Miguel D, S, Isabel, Nancy ; Zé T, Marcelo, Faria, Eliana ; Isabel ; Ana C ; Paula, Carlos, Luís, Pedro, Sofia, Pli ; Miguel B ; professores Manuel João, Rogério, Fátima Marinho, Carlos Reis, Isabel Almeida, Paula Morão, Ivo Castro, Rita Veloso, Diana Almeida


Outros que, no exacto antípoda dos anteriores, despertam o pior de mim:


Demasiados. Não cabem aqui. É tudo gente discursivamente feia. Acendendo a TV ou ouvindo quem fora dela reproduz agendas mediáticas, entre o vómito e o tédio a lista tornar-se-ia insuportavelmente longa.


Uma chave, mais um chavão? A cultura popular do início deste séc. XXI fede !


joseqcarvalho@sapo.pt


Alguns nomes:


José Afonso ; 13th Floor Elevators, The Monks, The Sonics, The Doors, Jimi Hendrix, The Stooges, Velvet Underground, Love / Arthur Lee, Pink Floyd (1967-1972), Can, Soft Machine, King Crimson, Roxy Music; Nick Drake, Lou Reed, John Cale, Neil Young, Joni Mitchell, Led Zeppelin, Frank Zappa ; Lincoln Chase, Curtis Mayfield, Sly & The Family Stone ; The Clash, Joy Division, The Fall, Echo & The Bunnymen ; Ramones, Pere Ubu, Talking Heads, The Gun Club, Sonic Youth, Pixies, Radiohead, Tindersticks, Divine Comedy, Cornelius, Portishead, Beirut, Yo La Tengo, The Magnetic Fields, Smog / Bill Callahan, Lambchop, Califone, My Brightest Diamond, Tuneyards ; Arthur Russell, David Sylvian, Brian Eno, Scott Walker, Tom Zé, Nick Cave ; The Lounge Lizards / John Lurie, Blurt / Ted Milton, Bill Evans, Chet Baker, John Coltrane, Jimmy Smith ; Linton Kwesi Johnson, Lee "Scratch" Perry ; Jacques Brel, Tom Waits, Amália Rodrigues ; Nils Frahm, Peter Broderick, Greg Haines, Hauschka ; Franz Schubert, Franz Liszt, Eric Satie, Igor Stravinsky, György Ligeti ; Boris Berezovsky, Gina Bachauer, Ivo Pogorelich, Jascha Heifetz, David Oistrakh, Daniil Trifonov


Outros nomes:


Agustina Bessa Luís, Anna Akhmatova, António Franco Alexandre, Armando Silva Carvalho, Bob Dylan, Boris Vian, Carl Sagan, Cole Porter, Daniil Kharms, Evgeni Evtuchenko, Fernando Pessoa, George Steiner, Gonçalo M. Tavares, Guy Debord, Hans Magnus Enzensberger, Harold Bloom, Heiner Müller, João MIguel Fernandes Jorge, John Mateer, John McDowell, Jorge de Sena, José Afonso, Jürgen Habermas, Kevin Davies, Kurt Vonnegut Jr., Lêdo Ivo, Leonard Cohen, Luís de Camões, Luís Quintais, Marcel Proust, Marina Tzvietaieva, Mário Cesariny, Noam Chomsky, Ossip Mandelstam, Ray Brassier, Raymond Williams, Roland Barthes, Sá de Miranda, Safo, Sergei Yessinin, Shakespeare, Sofia M. B. Andresen, Ted Benton, Vitorino Nemésio, Vladimir Maiakovski, Wallace Stevens, Walter Benjamin, W.H. Auden, Wislawa Szymborska, Zbigniew Herbert, Zygmunt Bauman


Algum som & imagem:


Avec élégance

Crazy clown time

Danse infernale

Dark waters

Der himmel über berlin

Forever dolphin love

For Nam June Paik

Gridlocks

Happy ending

Lilac Wine

L'heure exquise

LoopLoop

Materials

Megalomania

Metachaos

Nascent

Orphée

Sailing days

Soliloquy about...

Solipsist

Sorry, I'm late

Submerged

Surface

Their Lullaby

The raw shark texts

Urban abstract

Unter